top of page

Saiba Mais Sobre as Doenças Psicossomáticas



As doenças psicossomáticas são frequentemente mal compreendidas e estigmatizadas na sociedade. Muitas vezes, as pessoas que sofrem dessas condições são confrontadas com comentários como "Você não tem nada, é psicossomático, está apenas somatizando." No entanto, é crucial entender que ter uma doença psicossomática não significa que não exista uma doença real. A distinção entre somatização e doença psicossomática é fundamental para compreender a complexidade dessas questões.


A somatização é caracterizada pela presença de sintomas físicos sem uma causa orgânica identificável. Esses sintomas têm origem emocional, muitas vezes ligados ao estresse, ansiedade ou traumas. Por exemplo, em casos de síndrome do pânico, uma pessoa pode experimentar sintomas físicos que imitam um ataque cardíaco, como palpitações, sudorese e falta de ar. No entanto, os exames médicos não mostram nenhuma anormalidade cardíaca. Por outro lado, a doença psicossomática envolve a presença de alterações clínicas detectáveis ​​por exames de laboratório ou exames médicos. Nesses casos, o corpo da pessoa apresenta danos físicos reais, mas a causa subjacente é de natureza psicológica. Em situações de estresse emocional intenso, o corpo reage, como se estivesse "informando" que algo não está bem. Exemplos de doenças psicossomáticas incluem irritações na pele, alergias, infecções, problemas estomacais como má digestão e azia, distúrbios intestinais, entre outros.


A conexão entre mente e corpo é uma área fascinante e complexa da psicologia e da medicina. As doenças psicossomáticas destacam como nossos estados emocionais podem ter impactos profundos em nossa saúde física. Quando estamos sob estresse crônico ou lidamos com traumas não resolvidos, nosso corpo muitas vezes manifesta esses conflitos de maneiras físicas. Os mecanismos exatos pelos quais a mente influencia o corpo não são completamente compreendidos, mas sabemos que o estresse psicológico pode afetar o sistema imunológico, tornando-nos mais suscetíveis a doenças. Além disso, os hormônios do estresse, como o cortisol, podem ter efeitos adversos nos órgãos e sistemas do corpo, causando sintomas físicos.


A abordagem terapêutica para doenças psicossomáticas envolve uma colaboração entre profissionais de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras, e médicos clínicos. É essencial diagnosticar corretamente a condição para determinar se é somatização ou uma doença psicossomática. Uma vez estabelecida a causa psicológica, o tratamento pode incluir terapia cognitivo-comportamental, psicoterapia ou outras modalidades terapêuticas. A consciência sobre a distinção entre somatização e doença psicossomática é vital para reduzir o estigma associado a essas condições. As pessoas que sofrem dessas doenças não estão "inventando" seus sintomas; eles enfrentam uma manifestação física de um conflito interno.


Portanto, é crucial apoiá-los e fornecer acesso ao tratamento adequado para melhorar sua qualidade de vida e bem-estar geral. Na última análise, a compreensão da complexidade da mente e do corpo nos ensina a importância de cuidar tanto da saúde mental quanto da física, confirmando que ambas estão intrinsecamente interligadas em nossa jornada de bem-estar.


Continuem nos acompanhando e seja bem-vindo à psicoterapia.


Psicologia Popular | Viva Bem, Viva Zen!

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page